Programa do MBE agora conta com aulas de Coaching de Mercardo

O MBE, a Pós-Graduação em Meio Ambiente da Coppe/UFRJ, agora conta com aulas de Coaching de Mercado em seu programa acadêmico. A iniciativa tem a finalidade de proporcionar uma experiência completa ao aluno. Além dos conhecimentos que adquirirá ao longo do curso, tornando-se um Especialista, o aluno saberá exatamente como se inserir ou se realocar no mercado depois da nova qualificação.

Flavia Recrutamento MBP

Flavia Massa – Especialista em Recrutamento e Seleção

Flávia Massa, uma de nossas professoras especialistas em recrutamento e seleção, é psicóloga e atua na área há 5 anos. Mônnatha Grego também é psicóloga, formada pela UFF, e atua no setor de seleção de profissionais há 3 anos. As duas profissionais trabalham hoje na Swift Worldwide Resources, ocupando cargos de Líderes de Recrutamento. O trabalho que realizam consiste na captação de profissionais altamente especializados, entrevistas por competências, contatos com clientes multinacionais e indicação dos melhores candidatos para diversos cargos.

 

Veja a seguir entrevista com Mônnatha Greco sobre a nova disciplina:

 MBE: É fácil se preparar para conseguir um bom emprego? Como o Coaching pode ajudar nesta tarefa?

Mônnatha: Sendo uma pessoa dedicada e sabendo como se preparar, pode ser mais fácil do que parece. Do contrário, há grande risco do profissional incorrer nos erros mais comuns dos candidatos a emprego. O intuito da atividade de coaching é expandir os horizontes do candidato para que ele possa entender como funciona um processo seletivo, o que é esperado dele nas entrevistas e no currículo, como construir um bom networking profissional e como ser lembrado pelos profissionais recrutadores.

Em geral, faculdades, MBAs e pós-graduações se preocupam apenas em passar conhecimento aos alunos, mas não em prepará-los para o mercado de trabalho de forma prática, mostrando como podem ser mais efetivos na busca de um emprego.

Percebemos grande despreparo dos profissionais, desde os currículos mal estruturados às entrevistas. Pessoas que não conseguem passar suas experiências para os recrutadores. Muitas vezes o candidato tem um ótimo background profissional, mas não consegue demonstrar isso no CV (curriculum vitae) e nunca chega a ter a oportunidade de ser entrevistado.

Hoje em dia existem empresas que tentam vender soluções fáceis e práticas para se conseguir um emprego. É importante desconfiar quando as coisas parecem fáceis demais.

 

 MBE: Em que o candidato deve focar seus esforços?

Mônnatha: Para tudo na vida é necessário foco e dedicação. Ao buscar um novo emprego não é diferente. As melhores oportunidades exigirão do candidato um esforço maior. Por exemplo: pode-se elaborar currículos personalizados para cada vaga a que está pleiteando, sem inventar nada, é claro.

É preciso saber identificar se você se encaixa na vaga à qual está se candidatando, não fazer seu currículo de spam, enviado para todo tipo de oportunidade de trabalho. Se você é estagiário, não mande seu CV para uma posição de gerente, e se você já atua como gerente não mande seu CV para uma vaga de analista.

 

MBE: Como desenvolver um CV efetivo?

Mônnatha: Um CV efetivo precisa ser claro e objetivo. Nele é importante destacar suas principais atividades, cursos relevantes e colocar informações importantes. Como já disse, para algumas vagas é interessante fazer um CV personalidazo, mais focado no que a empresa recrutadora está querendo. Se a descrição da vaga apresenta requisitos que você cumpre, não hesite e adicioná-los ao currículo! Isso faz toda a diferença para captar a atenção do recrutador.

 

MBE: Qual seria a melhor hora para falar de salário?

Mônnatha: O momento ideal para falar sobre remuneração é ao final da entrevista, quando via de regra o próprio recrutador abordará o assunto. De modo geral, o mais conveniente é que o candidato aguarde ser questionado, mas que também se interesse em saber sobre o plano de carreira da empresa e outros fatores que podem tornar sua pretensão mais negociável.

Muitos candidatos têm receio de falar sobre salário. Alguns acham que se pedirem muito podem perder a oportunidade, outros que se pedirem pouco estarão desvalorizando sua própria experiência. Este assunto não pode ser tratado como um tabu, como um momento delicado, mas sim como um momento de franqueza. Você justificou através de sua experiência e conhecimento o seu valor. Se estiver sendo coerente, esta etapa não será delicada.

 

MBE: Como se consegue referências e indicações profissionais? 

Mônnatha: Por meio de contatos pessoais e networking em redes sociais como o LinkedIn. E tenha sempre um cartão de visitas na carteira, pois bons contatos profissionais podem surgir quando menos se espera, na fila do banco, em uma confraternização entre amigos, qualquer ocasião.

Estar atento a eventos ligados ao seu mercado de atuação também é de extrema importância. Temos como exemplo a Rio Oil & Gas, feira de petróleo e gás que aconteceu este ano no Rio Centro/RJ, onde profissionais das maiores empresas do mercado estavam em seus estandes, abertos a trocar informações.

 

MBE: Como ir bem nas entrevistas?

Mônnatha: A melhor forma é se preparando bastante: O candidato deve se informar o máximo possível sobre a empresa na qual deseja ingressar. Leia o site todo e busque por notícias na internet; estude seu próprio currículo de modo que esteja preparado para destacar os pontos positivos de sua carreira com segurança e propriedade; demonstre interesse, energia, e motivação para fazer parte da equipe da empresa contratante; preste muita atenção em sua postura corporal e fale de forma profissional.