Blog Entrevista: Prof. Paulo Vasconcelos

Entrevistamos o professor da disciplina ‘Gerenciamento de Projetos’ da pós graduação em meio ambiente da COPPE/UFRJ, o MBE.

Gerenciamento de ProjetosPAULO SÉRGIO VASCONCELOS

Doutorando em Planejamento Energético pelo PPE-COPPE-UFRJ, mestre em administração, economista e gerente de projetos profissional, certificado pelo PMI. Há mais de 30 anos atua como executivo e consultor gerencial em estratégia, planejamento e projetos em empresas internacionais e nacionais. É professor do MBE, do MBP e do Clube do Petróleo desde 2004.

1)     Por que esta disciplina é tão importante para o curso em questão?

Os conceitos de gerenciamento de projetos aplicados em projetos ambientais facilitam sobremaneira o desenvolvimento das atividades gerenciais. As melhores práticas, que são retratadas no PMBOK do PMI através dos processos das diferentes áreas de conhecimento em gerenciamento de projetos, quando utilizadas em projetos ambientais tornam-se um diferencial para o profissional da área. Como ainda não são muitos os profissionais com conhecimento em gerenciamento de projetos na área ambiental, nossos alunos acabam por fazer a diferença na vida real. Através de estudos de caso em sala e em grupos de trabalho, com exposições orais,  nossos alunos praticam os conhecimentos adquiridos durante todo o curso, com foco em planos de negócio,  definição e justificativa de projetos, com escopo, cronograma, qualidade, custos e riscos. Como a disciplina tem suas aulas na parte final do curso, nossos alunos já utilizam o conhecimento das demais matérias a partir do ponto de vista de gerenciamento de projetos.

 

2)      Qual o maior desafio do professor dentro desta disciplina?

O maior desafio em nossas aulas é a conscientização transmitida aos alunos através de estudos de casos práticos em projetos, vivenciados pelo professor em sua vida profissional. Sendo um curso multidisciplinar, com alunos das mais diferentes formações acadêmicas, a prática gerencial (qualitativa e quantitativa) deve ser repassada aos alunos de tal forma que a absorção individual seja a mais ampla possível.

 

3)      Quais são as maiores dificuldades de seus alunos e o que costuma gerar maior interesse da turma?

Poucos são os alunos que já desenvolveram um cronograma ou fizeram uma análise de custo-benefício, análise SWAT, enfim, que tiveram oportunidade real de preparar um plano de negócio ou de atuar em projetos com um gerente profissional.  Portanto, os estudos de caso, onde cada grupo exercita o conhecimento adquirido, usando software de apoio durante as aulas, despertam o interesse geral.  Os conceitos de gerenciamento do valor agregado, também com caso prático, transporta os alunos da sala para a realidade, respondendo questões referentes a custos e cronograma através de simples fórmulas matemáticas e medições do progresso de projetos.

 

4)      Por que acredita que os conhecimentos adquiridos irão ajudar os alunos em sua vida profissional?

Porque os conceitos de gerenciamento de projetos podem ser utilizados em benefício próprio de cada aluno na vida real, quer seja pessoal ou profissional, trabalhando ou não em projetos.  Eu explico em todas as turmas que um projeto, que todos eles desenvolverão em breve,  terá apenas um recurso (o próprio aluno), vários stakeholders (seus colegas, os membros de suas famílias, a coordenação do curso), tempo curto e pré-definido, onde atrasos não são permitidos (60 dias corridos a partir da última aula do curso), a qualidade deve obedecer aos padrões da Universidade e o escopo deve ser muito bem definido, para possibilitar uma conclusão de sucesso. O empenho individual, aliado aos conceitos de gerenciamento de projetos,  será o fator crítico para atingir o sucesso desejado no projeto que é o Trabalho de Conclusão do Curso (TCC).